A Tartaruga e o Escorpião - Gerson Santana

Categoria: ,

O Escorpião estava querendo atravessar um rio, mas não sabia nadar.Ele ficou ali horas e horas procurando uma ponte, um galho de árvore, qualquer coisa que ele pudesse usar para atravessar o rio. Mas não tinha nada; nenhum barquinho, nenhuma canoa. Então, ele viu ao lado uma tartaruga e se aproximou dela.

Quando a tartaruga viu o escorpião chegando com aquela cauda levantada e os ferrões preparados, a tartaruga se recolheu. O Escorpião lhe disse, “Não tenha medo, dona Tartaruga. Eu só gostaria de conversar um pouquinho com a senhora. Será que a senhora poderia vir aqui fora? A tartaruga respondeu, “De jeito algum. Você é uma criatura traiçoeira. Se eu for até aí, você vai aplicar o seu ferrão em mim. E o seu veneno é suficientemente forte para matar até um elefante”. 

E o Escorpião respondeu, “Não, dona Tartaruga. Não me leve a mal, eu sei que eu tenho uma péssima fama, mas eu preciso de um grande favor. Eu tenho que atravessar esse rio, mas eu não sei nadar. Eu sei que a senhora  nada muito bem; vai de lá, vem pra cá...Assim, se a senhora pudesse me fazer esta  gentileza, eu subiria no seu casco, a senhora atravessaria o rio e me deixaria na outra margem”.

A Tartaruga, que tem centenas de anos de vida e não é boba, disse, “Escorpião, você pensa que eu nasci ontem? Eu tenho certeza que se eu colocar a minha cabeça para fora, se eu te fizer este favor, você vai  me aplicar o seu ferrão e me matar”. O próprio Escorpião disse, “Que isso, que idéia a senhora está fazendo de mim! Eu preciso somente de  um favor. Se eu te aplicar o ferrão, eu estarei aplicando este ferrão contra mim mesmo porque se a senhora morrer, eu também morrerei. Se a
senhora se afogar no rio, eu também me afogarei porque eu não sei nadar. Então, confie em mim, dona Tartaruga. Eu só preciso desta gentileza. Me leve do outro lado, por favor. Eu vou ficar lhe devendo este benefício o resto da vida. O que a senhora precisar de mim, pode contar. Faça-me apenas esta  gentileza”.  

A Tartaruga ficou pensando, pensando, “É, não tem lógica. Se ele me aplicar o ferrão, eu morro e ele  também morre porque ele não sabe  nadar. Eu acho que não custa nada fazer esse favor”. Ela saiu do casco e disse, “Está bem, senhor Escorpião. Suba aí nas minhas costas”. 

E o  Escorpião, com a cauda levantada e aquele ferrão assustador, foi  subindo pela traseira da  Tartaruga e foi até o topo do casco. Lentamente, a Tartaruga foi descendo a margem do rio e o Escorpião lá em cima, “Muito obrigado, dona Tartaruga. Muito obrigado pelo favor que a senhora vai me fazer”. E a tartaruga, “De nada”. 

Ela foi descendo até que encontrou a água e começou a nadar com o Escorpião em cima do casco. A Tartaruga nadava e nadava para alcançar a outra margem do rio. Mas o Escorpião começou a olhar para o pescoço da Tartaruga e ficou pensando, “Que vontade de dar uma ferroada. Eu não estou conseguindo controlar a minha cauda”. E a Tartaruga inocente, nadando, nadando e nadando; pensado que estava prestando um favor ao Escorpião. 

De repente, a Tartaruga dá um grito, “Ai, o que é isso?! Você me ferroou e o seu veneno está em mim. Por que você fez isto, Escorpião?   Eu estou te prestando um favor e agora eu vou morrer. O que é pior:    você também morrerá”. O Escorpião disse, “Desculpe, dona Tartaruga. Mas esta é a minha natureza. É só isso que eu sei fazer”. A Tartaruga morreu e o Escorpião também submergiu naquele rio
pantanoso. 

 Moral da História
Preste atenção: a Tartaruga representa cada um de nós. Pensamos que somos sábios,  prudentes, precavidos. Mas vira e mexe estamos dando oportunidade para o diabo aplicar o seu veneno na nossa   vida. Ainda que o diabo queira se apresentar como anjo de luz dizendo, “Eu quero te fazer o bem”, na  verdade ele vai acabar condenando a sua  alma. Por isso, jamais procure um lugar onde está baixando um espírito  que faz coisas ruins, e também tenta fazer coisas boas, mas que no  final está sempre  praticando o mal. Jamais abra o seu corpo para  qualquer espírito, ainda que o espírito diga que é “bonzinho”, que é  “legal” que vai te fazer o bem e não oferece perigo.  

O único espírito que você pode abrir o corpo e receber é o Espírito  Santo de Deus. Qualquer outro espírito é suspeito e pode te matar, te condenar. Também não peça favores a esses espíritos porque quando você   vai procurá-los e, até mantém uma certa distância, pagando um trabalho  de feitiçaria, por exemplo. Mesmo que seja um trabalho supostamente  para te ajudar, o mal virá sobre ti e, surpreso, você verá que foi  traído e condenado.  

Esta ilustração do Escorpião e da Tartaruga também ilustra o nosso  relacionamento com as pessoas. Quando você faz o mal para alguém, você  acaba recebendo este mal de volta. O que foi que o  Escorpião? Ele se  condenou à morte na hora que ferroou a Tartaruga. A Tartaruga morreu, mas ele também. Então, quando você pratica o mal contra uma pessoa,  ainda que você a prejudique violentamente e ache que está em vantagem,  na verdade aquele mal também te condenará um dia. Se não for aqui  nesta, será no juízo final. O diabo tem uma natureza que nós  precisamos fugir dela

O diabo tenta passar esta natureza ao ser  humano. Ele quer que você seja tão mau quanto ele.  Você sabia que o diabo pratica iniqüidades e maldades porque ele já  está condenado? O diabo sabe que o lago de fogo está preparado para ele e para os seus anjos caídos. Então, tudo o que ele quer fazer é
matar, roubar e destruir. É isso que ele está tentando fazer na sua vida. Quando você age com essa mesma natureza, você está praticando as  obras do diabo.  Seja prudente. O Senhor Jesus disse, “Sejam simples como a pomba e  prudentes como as serpentes”. Portanto, meu querido e minha querida,  tomem cuidado. 

Às vezes, um favorzinho que você pede ao diabo pode condenar a sua alma. Uma ida ao terreiro, um trabalhinho de  feitiçaria, uma simpatia que você faz, pode estar te condenando.  Jamais faça a vontade do diabo. Pelo contrário, faça a vontade de  Deus. O Senhor Jesus diz assim, “Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor entrará no Reino dos Céus. Mas aquele que faz a vontade do meu Pai que  está nos céus”. Então, faça a vontade de Deus. Rejeite as obras do  diabo. Mas não basta apenas fugir do diabo. Não basta apenas rejeitar  as obras do diabo. Você precisa receber o Senhor Jesus como o seu  único e suficiente Salvador.

Escritor:  Gerson Sanatana

Compartilhe

Artigos Relacionados

1 Response to A Tartaruga e o Escorpião - Gerson Santana

31 de dezembro de 2011 20:26

Gostei! Vamos entender isso... É preciso aceita-lo como Senhor e Salvador de nossas vidas!
Deus abençoe a todos.

Postar um comentário